Pergunte a qualquer empresário - seja qual for o ramo - de uma empresa de esquina a uma multinacional, nos mercados mais disputados do mundo, o que é mais difícil de se administrar. Todo serão unânimes em dizer: pessoas! Lidar com o ser humano realmente não é nada fácil. Daí a importância em se capacitar para o mercado. As opções são diversas e é claro que indicamos os cursos online como a melhor alternativa para os processos de aperfeiçoamento e atualização. E como o assunto é RH, vale a pena conferir o curso online Gestão de Recursos Humanos, desenvolvido para que os profissionais possam atuar de forma plena, inovadora e empreendedora nas diversas áreas dos Recursos Humanos por meio do desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes relacionadas às novas exigências das empresas contemporâneas. 

O mercado de Recursos Humanos está em alta. Com a crise econômica, as empresas precisam fazer uma gestão participativa e eficiente de suas equipes com o objetivo de elevar a produtividade. As áreas que mais têm demandado profissionais de Gestão em Recursos Humanos são as de recrutamento e seleção; treinamento e desenvolvimento; folha de pagamento; consultoria e auditoria; higiene, saúde e medicina do trabalho; e coaching de carreira, seja na indústria, comércio, serviços, órgãos públicos ou no terceiro setor.

Opções não faltam para se qualificar na área de RH, indo de cursos profissionais técnicos (tecnólogos), graduação, pós-graduação, mestrado e até PhD, passando, claro, pelos nossos queridos cursos online, como o Curso Online Psicologia Organizacional e do Trabalho aqui do Foco Educação Profissional. Em comum esses cursos profissionais preparam o profissional - que não necessariamente precisa ser formado em Psicologia, para criar e gerir planos de carreira, analisar estratégias de gestão de pessoas, desenvolver planos de recrutamento, seleção, avaliação e treinamento de colaboradores nas mais variadas organizações.

Cursos relacionados que podem te interessar:

Já explicamos que a parte mais complicada em uma instituição é o seu capital humano, saber gerenciá-lo, portanto, é um trunfo que as organizações precisam compreender para ter sucesso em seus respectivos mercados. Saber escolher o profissional certo para a função correta, não somente por seus conhecimentos específicos mas também levando em conta seu perfil (inclusive pessoal), seus propósitos profissionais e de vida devidamente alinhados com os da organização, ajuda não só na captação dos melhores talentos, mas também em sua retenção. Afinal, um alto turn over (rotatividade de funcionários) gera uma série de custos desnecessários, não só de rescisões contratuais e acertos, mas de tempo desperdiçado. Nenhuma empresa quer contratar um funcionário, treiná-lo, investir tempo e dinheiro nele para, em poucos meses, perdê-lo para a concorrência, por exemplo. Por isso é função primordial do gestor de Recursos Humanos identificar profissionais que tenham visão de médio e longo prazos e um propósito profissional devidamente alinhado com o da empresa.  

Gestão de Recursos Humanos na seleção e recrutamento de funcionários

Assim como no marketing, a definição correta do público-alvo vai nortear o desenvolvimento de produtos e serviços e a mensagem a ser passada pelas peças de comunicação, na gestão de pessoas deve-se segmentar bem o perfil da vaga para orientar que apenas candidatos dentro daquelas especificações concorram à vaga ofertada. Afinal, ninguém quer receber uma pilha de currículos sem qualquer relação com o cargo, o que só gera desperdício de tempo. 

Então, a primeira coisa a se fazer é conversar bastante com a área que solicitou a vaga e orientá-la nas especificações, tanto técnicas quanto pessoais, dos candidatos. É preciso tomar também um certo cuidado para o excesso de exigências, o que pode afastar o interesse de potenciais bons profissionais. Pense, por exemplo, se o cargo realmente precisa de inglês avançado. Se não precisa, por que exigir? Pesquise o mercado para saber se a remuneração e os benefícios oferecidos estão de acordo com a vaga. Muitas vezes a carência de profissionais pode estar relacionada à pouca atratividade da oferta.  

É verdade também que a lei da oferta e da procura é implacável. Muita mão de obra ociosa gera excesso de demanda por vagas e não raras vezes profissionais extremamente qualificados, por uma questão de necessidade, acabam se candidatando a vagas que exigem pouca qualificação. Mas não se engane: esse tipo de profissional, na primeira oportunidade de melhorar sua remuneração, trocará de empresa sem pensar duas vezes. Portanto, esse tipo de contratação pode ser um barato que sai caro depois. O oposto também pode acontecer. Em um mercado aquecido, com pleno emprego, a carência de profissionais em determinadas áreas pode elevar a média dos salários, tornado mais difícil para o departamento de Recursos Humanos encontrar o profissional ideal. 

Convenhamos, apenas um currículo é insuficiente para se chegar à conclusão de que aquela é a pessoa certa para a vaga. O currículo é somente o primeiro passo servindo geralmente apenas para filtrar os candidatos por formação. É lá que você vai checar as certificações dos candidatos, nível de escolaridade, cursos extra-curriculares, online ou não, viu? Uma vez selecionados os currículos, parte-se para as entrevistas, ocasiões em que se avaliará aspectos como o Quociente Emocional (QE), o Quociente de Inteligência (QI), aspectos de Liderança, competências, habilidades (se o inglês for necessário para o cargo, é a hora de testá-lo), relacionamento interpessoal, capacidade de trabalho em equipe e outras características pessoais dos candidatos por meio de alguns testes e conversas, além de confirmar as informações curriculares. Essa etapa normalmente é realizada por aqueles que promovem a Gestão de Recursos Humanas da empresa. Dica rápida: bons cursos EAD, de preferência cursos online com certificado, podem te ajudar nos momentos da seleção. Acesse nossa área de cursos e ache o o que mais tem a ver com você.

As entrevistas e testes podem ser em uma ou mais etapas, afunilando os candidatos para que, no final do processo, fiquem apenas dois ou três geralmente. Mas nada de errado se apenas um se sobressair. A decisão final caberá ao setor contratante, que poderá recorrer à consulta do RH para eventuais sugestões e direcionamentos. O trabalho do gestor de RH está apenas começando.


Gestão de Recursos Humanos na Contratação de Funcionários

Essa é a parte mais burocrática do Departamento Pessoal. São as medidas protocolares de contratação que incluem a solicitação de documentos do contratado, a própria confecção e assinatura do contrato de trabalho, digitalização de informações, inserção de dados no sistema, cadastro de usuário no banco de dados da instituição, entre outros. Nessa fase, o RH fará a gestão das funções organizacionais e pode caminhar lado a lado com o setor de Tecnologia da Informação (TI) no apoio da parte tecnológica, da Comunicação Interna na divulgação sobre a nova contratação e do próprio setor contratante na troca de informações.

Nessa fase do trabalho é muito importante que o gestor de RH esteja atualizado com a legislação que envolve o setor como a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), bem como outras formas de contratação. As leis trabalhistas específicas do setor, como: insalubridade, jornada de trabalho, direitos e deveres de ambas as partes, etc. 

Recursos Humanos e Treinamento de Colaboradores

O setor de Recursos Humanos é fundamental na integração do novo colaborador com a empresa. Embora as partes técnica e operacional sejam repassadas pelo setor contratante, cabe ao RH a interlocução do contratado com os demais setores da organização, o treinamento sobre o modus operandi da empresa, a ambientação dele nos diversos setores, enfim, passar ao novo funcionário todas as regras institucionais comuns a todos os colaboradores.

Mesmo entre os colaboradores com mais tempo de casa, cabe ao RH a gestão de todos os treinamentos e capacitações - aproveitando o assunto, deixo um rápido adendo: o número de cursos à distância dentro das empresas tem aumentado exponencialmente ano após ano. Se sua empresa está capacitando os funcionários através de cursos ead, saiba que o motivo é devido ao ensino à distância já ter rompido todas as barreiras e ter decolado há algum tempo.

Gestão de Recursos Humanos no Relacionamento com os Colaboradores

Toda e qualquer questão que envolva formalmente o funcionário e a instituição deve passar pelo setor de RH como atualizações de telefone, endereço e qualquer outra nova informação sobre o colaborador, atualização de salário ou função, acidente de trabalho, litígio entre funcionários e entre funcionário e empresa, medicina do trabalho, concessão de benefícios, férias, folha de pagamento, entre outros. Há, inclusive, softwares específicos que auxiliam o profissional de RH em seu trabalho como o Totvs RH, o Cezanne HR, o RH3, o RH 1000 ou o Software RH, entre outros.

Gestão de Recursos Humanos na Retenção de Talentos

Conforme já mencionado neste artigo, é crucial que a instituição consiga reter seus talentos, pois houve tempo e recursos financeiros e humanos na seleção e capacitação dos profissionais que estão na companhia. Mas, a menos que o colaborador seja concursado, não há qualquer garantia que ele vá permanecer na empresa por um longo período. Isso sem falar no conhecimento que alguns funcionários possuem em relação à empresa, muitas vezes relacionados a segredos industriais responsáveis por manter a organização mais competitiva no mercado em relação a seus concorrentes.

Para evitar que a saída de um ou mais funcionários comprometa o fluxo de trabalho, é fundamental que, além de uma boa governança corporativa (o que ajuda a reduzir efeitos negativos da saída de pessoas e a informalidade), a organização tenha outros recursos que contribuam na permanência dos bons colaboradores, o que obviamente vai além simplesmente da questão salarial. Questões como benefícios extra (planos de saúde, seguro de vida, vale refeição/alimentação, subsídio no transporte), boas condições de trabalho (infraestrutura adequada, medicina e segurança do trabalho, boa equipe) e logística (facilidade de se chegar ao local de trabalho, estacionamento, etc), além de um plano de carreira e investimentos na formação do colaborador, como cursos online com certificado, por exemplo, são fundamentais na escolha de um funcionário em permanecer ou não na empresa, mesmo que tenha recebido uma proposta financeira melhor. 

Gestão de Recursos Humanos na Rescisão de Contratos e Demissões

Mas nem tudo são flores. Em pelo menos dois momentos o setor de RH será acionado para desligar um funcionário: quando a empresa demite ou quando o colaborador pede demissão. Quem nunca ouviu a temerosa frase "passa lá no RH"? Expressões como essa ajudam a passar uma imagem negativa do setor, como representando o que o matadouro é para o gado. Assim, o RH é o primeiro e o último ponto de contato do funcionário com a organização. Se a ele compete a parte burocrática da contratação, a ele também cabe o trâmite da demissão. É neste momento em que o o profissional de RH explica ao funcionário sobre todo o processo e também os direitos do demitido.

Acredite: demitir alguém é muito triste, ainda mais quando a decisão não é do profissional de RH, cabendo a ele apenas a parte burocrática do processo. Mas com o tempo isso passa a ser rotineiro na vida do gestor de Recursos Humanos. Não que ele fique endurecido diante da tragédia profissional do outro, mas sim porque ele passa a ver a demissão como um processo natural, passível de acontecer a qualquer um, inclusive com ele próprio. No dia seguinte, novas alegrias com a contratação de mais funcionários e novas tristezas com a demissão de outros tantos. C'est la vie

Gestão de Recursos Humanos Terceirizada

Uma área que tem crescido bastante na profissão é a de Gestão de RH terceirizada. Pequenas e médias empresas, na impossibilidade de ter um departamento interno de RH, terceirizam esta função para empresas específicas. Mesmo grandes empresas e multinacionais lançam mão deste tipo de serviço terceirizado. A forma de cobrança varia entre uma mensalidade fixa e por serviço prestado (geralmente apenas o processo de seleção ou de seleção e demissão).

Os certificados do Foco Educação Profissional podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Coaching de Carreira

Outra área que tem ganhado cada vez mais espaço no mercado é a de coaching de carreira. O coach é um profissional especializado em orientar alguém em processo de recolocação no mercado de trabalho ou mesmo alguém que deseje conselhos para melhorar seu posicionamento dentro da organização ou em sua vida profissional de uma forma geral. Ele ajuda a pessoa a encontrar propósito naquilo que faz, norteando suas decisões. Muitas empresas têm contado com esse profissional internamente. Outras vezes ele é demandado individualmente e o processo de coaching pode levar de algumas sessões a vários meses. A consultoria pode ser prestada tanto pessoalmente quanto online. A profissão não é regulamentada, ou seja, qualquer pessoa pode ser coaching de carreira, mas um gestor de Recursos Humanos estará na frente ao querer atuar nesta área. Inclusive já há coachies específicos para determinados segmentos profissionais. Uma boa dica para entrar nessa área é fazer cursos EAD, preferencialmente cursos online com certificado sobre coaching.

Conclusão

É bom lembrar que a área de Gestão de RH é bastante estável, pois é sempre requisitada, seja em momentos de grande crescimento econômico (muitos processos de seleção e contratações) quanto de crise (demissões e coaching de carreira). Seja em pequenas empresas (prestação de serviço terceirizado) ou grandes corporações (no dia-a-dia da gestão dos colaboradores).

Mas é importante que o profissional de RH esteja sempre se atualizando na área, principalmente com relação a novas metodologias de trabalho, novos testes e questionários, dinâmicas individuais e de grupo, e em especializações. Para isso, há cursos à distância para todas as necessidades e bolsos. Para começar, que tal o curso de Gestão de Recursos Humanos aqui do Foco? Com investimento único você pode se inscrever e fazer quantos cursos online quiser, no seu tempo. Comece agora mesmo fazendo a gestão do maior recurso humano que existe: você mesmo! 

Curtiu o artigo? Ficou com alguma dúvida? Conte pra gente nos comentários!