Prezados senhores, informamos por meio deste artigo que é preciso entender tudo sobre Redação Oficial. Seja Redação Oficial para concursos, um manual de Redação Oficial para usar no dia a dia, no trabalho ou se em interesse em redigir textos com excelência para órgãos públicos. Vamos esclarecer muitos pontos para deixar claro do que se trata e como fazer para ficar craque nesse método. Todo mundo sabe que escrever bem é primordial, seja em um texto simples ou um documento direcionado, portanto, para se destacar, você pode recorrer a muitas opções. Que tal cursos online como o Curso Online Redação Oficial do Foco Educação Profissional, que revela tópicos detalhados desse assunto? Vale a pena conhecer e também tirar dúvidas nesse guia completo sobre o cursos a distância na área. 

Voltando a proposta do artigo, vamos fazer um breve resumo com aspectos gerais da Redação Oficial e tirar aquelas dúvidas básicas que permeiam muitas pessoas. Afinal, do que se trata? Em quais setores é indispensável o uso desse padrão e quais os documentos? Quais as normas essenciais? Pois é, o que não faltam são questões. Vamos tratar das principais informações para te deixar antenado e pronto para dominar tudo sobre esse conceito. Acompanhe!


O que é Redação Oficial?

O termo ‘’oficial’’ incrementa e dá um ar de seriedade a este ato de escrita, atividade que somos estimulados a realizar assim que começamos o processo de alfabetização. Que atire a primeira pedra quem nunca precisou fazer uma redação, seja de um tema livre ou determinado, tanto na escola, quanto para uma entrevista de emprego, concurso, vestibular… ela sempre está lá para testar os conhecimentos tanto da língua portuguesa quanto o domínio da própria.

Esse modelo simples por si só já assusta muitas pessoas, ainda mais aquelas que não gostam ou não estão acostumadas a escrever com frequência. Imagine, então, quando se trata da Redação Oficial? Embora pareça assustador para algumas pessoas, o ''oficial'' indica nada mais que um padrão fundamental que nunca deve ser descartado. Não é à toa que é padrão, pois há regras e normas estabelecidas que devem ser seguidas à risca, ao contrário de uma redação comum que geralmente é mais ‘’aberta’’, sobretudo ao tipo de linguagem e opiniões. Mas, então, como é definida e o que é Redação Oficial?

Conhecida também como Correspondência Oficial, a Redação Oficial abrange todos os atos normativos que dizem respeito aos órgãos públicos. Segundo o Manual de Redação Oficial da Presidência da República, é ‘’a maneira pela qual o Poder Público redige atos normativos e comunicações’’. Sendo assim, o emissor será sempre um órgão público que precisa se comunicar ou com outro setor público, uma pessoa em particular ou a sociedade em geral. Ainda de acordo com o Manual, as características principais desse termo são: impessoalidade, uso do padrão culto de linguagem, clareza, concisão, formalidade e uniformidade. Esclarecendo, deve seguir sempre essas regras, sem espaço para erros e situações que não sigam o parâmetro correto.

A estrutura de um documento e modelo de Redação Oficial segue valores tradicionais que obedecem princípios usados desde o período colonial brasileiro, incomuns ao padrão de linguagem popular e coloquial que usamos atualmente; com forte inspiração no artigo 37 da Constituição Federal, que revela: ‘’A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência’’.

Logo, a ideia é justamente essa, proporcionar um modelo com interpretação única, sem espaço para opinião, particularidades e termos subjetivos, sempre com interesse à Administração Pública. Nesse contexto, o que precisa ficar claro é que ‘’a Redação Oficial não é necessariamente árida e infensa à evolução da língua. É que sua finalidade básica – comunicar com impessoalidade e máxima clareza – impõe certos parâmetros ao uso que se faz da língua, de maneira diversa daquele da literatura, do texto jornalístico, da correspondência particular, etc.’’, revela o Manual de Redação Oficial da Presidência da República

Tantas definições peculiares determinadas levam as pessoas ao desespero, pensando que Redação Oficial é algo que só pode ser feito por professores, especialistas em linguagem, entre outras pessoas da área. É um pensamento equivocado, pois, com aulas teóricas, cursos online com certificados - como o Curso Online Redação Oficial -, outros cursos EAD, um manual de Redação Oficial e outras alternativas, é possível dominar essa técnica e entender perfeitamente como redigir um texto com excelência, considerando todas as regras propostas.

Normas e padrões da Redação Oficial

Então, quais normas ‘’assustadoras’’ são essas que compõem os aspectos gerais da Redação Oficial? Bom, de assustador não tem nada, tanto que neste artigo de Redação Oficial para concursos, você verá que são características que, embora obrigatórias, revelam-se até simples de serem seguidas. Logo, ao pensar em correspondências e documentos desse padrão, é primordial se atentar a essas regras:

Impessoalidade

Quando se trata de impessoalidade, há um procedimento simples que é fácil de entender, seguindo aquela linha de comunicação básica que aprendemos na escola: emissor (quem comunica), mensagem (algo a ser comunicado) e receptor (aquele que recebe a comunicação). Assim, em termos de um documento oficial, o remetente será sempre o Serviço Público (Ministério, Secretaria, Departamento, Divisão, Serviço, Seção), a mensagem sempre relativa ao órgão que comunica e suas diretrizes e o destinatário outro setor público ou um conjunto geral de cidadãos.

Ser impessoal, para ficar claro – o que é primordial quando se trata de Redação Oficial atualizada – é deixar de lado qualquer impressão individual, características opinativas e subjetividade. O texto deve ser escrito em terceira pessoa (comunica-se), primeira pessoa do plural (comunicamos) ou primeira pessoa do singular (comunico), sempre com caráter informativo e apresentando dados/fatos reais e objetivos. Isso é regra e todo emissor deve considerar para que o receptor entenda de forma concisa, formal e com clareza.

Linguagem em padrão culto

Já o padrão culto de linguagem é aquele que ''foge'' daquilo que usamos no cotidiano, com um parâmetro de escrita que é bem diferente das mensagens que enviamos nas redes sociais, por exemplo. Como o próprio nome revela, é um critério que não muda, considerando sempre as mesmas regras. Embora a gramática seja aquela que deveríamos empregar em qualquer canal de comunicação escrita, o vocabulário é considerado por vezes ‘’peculiar’’. Como já falamos, esses documentos seguem normas que são usadas desde períodos antigos da história do Brasil. Logo, não há espaço para a informalidade, como as famosas gírias, jargões, termos técnicos e direcionados e/ou regionalistas. Mesmo que um edital, por exemplo, tenha um foco específico, o vocabulário deve ser direcionado para todos, por isso existe esse padrão que caracteriza um manual de Redação Oficial e que você poderá ver com mais clareza em estudos e cursos online sobre o assunto. 

Mas, atenção: não é porque existem regras determinadas que todo documento segue um modelo totalmente intrínseco. É nesse ponto que muitas pessoas se enganam e usam sempre como base algo singular, mudando apenas alguns termos e levando a uma linguagem burocrática. Como assim? É hábito procurar modelos prontos de notas e documentos de Redação Oficial e mudar apenas alguns detalhes, sem se atentar à individualidade. Lembre-se que cada caso é um caso e a mensagem deve ser transmitida de modo legível, compreensível e, embora formal, de interpretação geral, e não seguindo um exemplo pronto que é modificado em poucos termos apenas para adentrar a esse parâmetro.

Parece confuso, mas, com o tempo, você acaba pegando o jeito, já que há muitos exemplos de questões e modelos de Redação Oficial para ter mais familiaridade com o assunto, assim como alternativas livres, como o próprio Manual de Redação Oficial da Presidência da República e outras ferramentas online que esclarecem muitos pontos, como cursos a distância que podem ser feitos em casa, rapidamente. Portanto, fique tranquilo! Vamos continuar?

Cursos relacionados que podem te interessar:

Formalidade

Formalidade é essencial quando se trata de Redação Oficial atualizada. Independente da pessoa ou grupo a ser tratado e do grau de intimidade com o mesmo. E não corresponde apenas ao pronome de tratamento (senhoria, excelência, eminentíssimo), mas de toda estrutura em si, com uniformidade de papel, clareza datilográfica e diagramação correta. Esse ponto define bem o que tratamos como padronização em correspondências oficiais e deve ser seguido à risca.

Concisão e clareza

Ao ler algum documento que diz respeito a um órgão público, muita gente imagina que lidará com métodos burocráticos e que não vão direto ao ponto. É claro que isso pode acontecer em alguns casos (não é à toa que falamos disso no tópico de Linguagem em padrão culto), mas uma nota que usa Redação Oficial de modo correto não abre espaço para ‘’enrolação’’ e termos desnecessários.

O primordial é que o texto seja sempre conciso e que vá direto ao assunto, com informações fundamentais, considerando o que especialistas chamam de economia linguística: informar o máximo com o mínimo de palavras. Não é à toa que, pela complexidade e dificuldade que muitas pessoas e setores têm em serem concisos em seus textos de Redação Oficial, esse termo seja considerado mais uma ''qualidade'' do que uma característica dessa norma. Logo, é algo para ser aprimorado com frequência, seja na própria prática da escrita no dia a dia ou em outras alternativas que auxiliam rapidamente, como cursos a distância e cursos online com certificados.

Já a clareza, como o próprio nome indica, deve possibilitar uma compreensão total e satisfatória pelo receptor da mensagem, que quase sempre é composto por diversas pessoas. Por isso, ambiguidade é um erro grave. Não dá para abrir margem para diversas interpretações, é necessário ser inteligível e considerar todos os termos tratados anteriormente, um conjunto para a formação de um documento perfeito e com tudo que é pertinente aos aspectos gerais da Redação Oficial.

Em quais documentos preciso usar Redação Oficial?

Muita gente se pergunta em quais documentos é necessário fazer uso desse conceito. É uma dúvida comum em questões de Redação Oficial para concursos, provas e testes similares. Por isso, é importante ficar claro que há modelos, métodos e tipos de documentos oficiais que são inerentes e essenciais às regras propostas. Portanto, você deve usar as normas de Redação Oficial em: alvarás, atas, apostilas, atestados, autos, editais, avisos, boletins, certidões, circulares, contratos, convênios, convites, convocações, decretos, declarações, deliberações, despachos, estatutos, fax, guias, exposições de motivos, memorando, mensagens, ofícios, notas, instruções normativas, pareceres, portarias, relatórios, ordens de serviço, resoluções e requerimentos.

Todo documento segue a estrutura descrita no tópico anterior de normas e padrões da Redação Oficial, embora cada tipo tenha suas características e especificações. Por isso, é importante esclarecer que uma nota não é a mesma coisa que um contrato e uma convocação não se assemelha a um ofício. Não queira usar um texto comum para cada documento oficial em si.

São muitos tipos, claro, mas não é difícil entender o que cada modelo exige. Muitos deles são comuns no nosso dia a dia, como os editais, por exemplo. Ao ler para fazer um concurso público, você percebe claramente o uso e entende claramente o que é Redação Oficial, com identificação prática de suas especificações. Tanto Curso Online Redação Oficial quanto em uma variedade de cursos EAD, isso fica ainda mais simples de compreender, com um manual completo que trata de cada termo por etapas, passo a passo.

Os certificados do Foco Educação Profissional podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Por que preciso entender de Redação Oficial?

Ah, mas pra que eu usarei isso em minha vida? Um pensamento do senso comum é afirmar que um assunto que parece direcionado não fará diferença e não poderá aparecer em qualquer meio de sua convivência, ou seja, muita gente acredita que não é preciso entender e ter noção de o que é Redação Oficial. Ao contrário do que parece, não é um campo necessário apenas para pessoas que precisam redigir documentos essenciais, mas para todo o público em si, para que possa compreender exatamente esses padrões ao ter contato com esses termos. Como já dissemos, eles estão mais próximos da gente do que imaginamos e, com certeza, você já leu e ainda lerá muitas notas com essa padronização.

Outro ponto que torna essencial o entendimento do resumo de Redação Oficial é quanto ao interesse em concursos públicos. Muitas provas (a maioria delas, na verdade, ainda mais com vagas em órgãos públicos ou departamentos importantes de grandes empresas) são compostas por questões de Redação Oficial, das mais básicas às complexas, logo, torna-se uma necessidade dominar o assunto. E não vale deixar de destacar que aprender a escrever corretamente e com uma linguagem padrão culta, com termos e regras, leva a um conhecimento rico e dominante desse e de muitos aspectos, ou seja, servirá para muitos momentos de sua vida.

Buscar conhecimento nunca é demais. Quem está no meio corporativo em si e pensa em crescer na empresa ou tem planos de conseguir um cargo melhor por meio de um concurso deve se manter atualizado de tudo que é pertinente a essas áreas. A boa notícia é que você pode usar a internet para estudar no conforto de sua casa e na hora de quiser. Que tal investir em cursos a distância, tutoriais, dicas de profissionais ou cursos online com certificados? Faz toda a diferença e você fica cada vez mais por dentro dos preceitos da Redação Oficial, bem como uma diversidade de assuntos que sempre agregam para o lado profissional e pessoal.

Escrever bem é essencial – por que não treinar e ser um expert?

Agora que você já sabe o que é Redação Oficial e quais suas principais características e aplicações, é necessário se aprofundar para aprender e, quem sabe, tornar-se um expert no assunto, sobretudo se você tem planos em prestar concursos públicos de relevância. Lembre-se que a concorrência é grande, por isso é preciso se destacar e dominar aquilo que será abordado na prova. Além disso, você pode conseguir um emprego e ter que lidar com esse recurso (comum também na Comunicação Empresarial) tanto de forma externa quanto interna para lidar com pessoas diferentes, mas que devem receber uma mensagem comum, clara e concisa.

Fazer um Curso Online Redação Oficial e buscar especialização nesse campo ajuda também a ter sucesso na prática e técnicas de redação e textos gerais, comuns nos concursos, vestibulares e outras sessões de interesse público. Escrever bem é essencial, então, por que não treinar com tantos materiais acessíveis? Além dos cursos online, você pode consultar manuais, assistir vídeos, assinar cursos EAD, entre outras alternativas. Comece agora e busque sempre novos conteúdos, afinal, conhecimento nunca é demais!

Tem alguma dúvida? Deixe um comentário no artigo. Boa sorte e até mais!