Pensar em saúde é algo que deve começar desde cedo. Uma criança, logo ao nascer, precisa passar sempre por consultas com especialistas para saber como está, sobretudo quando se trata de sua nutrição. Desde que haja essa preocupação por parte dos pais, bem como uma alimentação e hábitos sadios, com certeza ela crescerá com vigor e sem problemas causados por diversas enfermidades.

A questão, porém, é que hoje em dia muita gente está deixando de lado esses cuidados. Muitas crianças crescem sem a devida atenção dos pais, acabam copiando manias ruins dos mesmos e desenvolvendo sérias adversidades, como a terrível obesidade infantil. Infelizmente, esse é um dos maiores contratempos que atinge os jovens no mundo inteiro.

Um assunto sério e que merece destaque, deve ser divulgado para que cada vez mais pessoas conheçam e não permitam que as estatísticas cresçam. Por isso, preparamos este artigo com algumas informações esclarecedoras sobre o tema, falando sobre causas, fatores de risco, tratamento e a obesidade infantil no Brasil. A base para essa pauta é o Curso Online Obesidade Infantil, um dos destaques do Foco Educação Profissional.

Trata-se de um dos melhores cursos online para saber tudo sobre esse tema, seja um profissional de saúde, pai de crianças nessa situação ou qualquer outro interessado em saber mais. Leia nosso artigo, fique por dentro e saiba como cursos online com certificado são importantes para informar sobre a obesidade infantil.

Questões gerais sobre a obesidade infantil 

O que é obesidade infantil?

Pode ser caracterizado um caso de obesidade infantil quando uma criança ou adolescente está com sobrepeso, considerando especificamente fatores como idade e altura. Você sabia que, segundo dados da Fiocruz, 8% das crianças e 15% dos adolescentes estão acima do peso? Além disso, oito em cada dez menores continuam com sobrepeso até a fase adulta? Pois é, são estatísticas preocupantes e que afetam pessoas no mundo todo.

É importante salientar que, quando se trata de obesidade infantil, para que um menor seja dito como obeso, é necessário uma série de exames e avaliação de sua estrutura/hábitos cotidianos. Geralmente, um médico não usa como parâmetro o conhecido IMC (índice de massa corporal) para saber se uma criança está acima do peso recomendado, ao contrário do que ocorre com os adultos.

Como o crescimento de cada criança é diferente, ainda mais na comparação de meninos com meninas, é preciso observar outros fatores: alimentação infantil, histórico familiar, genética, entre sua condição de saúde em geral. Logo, trata-se de um diagnóstico que só pode ser feito por um profissional, bem como um tratamento para obesidade infantil eficiente.

É claro que, por outro lado, existem muitos sinais que aparecem e os pais começam a perceber. O mais preocupante deles é quando o pequeno está realmente muito acima do peso, de modo que o problema é latente. Nessa hora, a orientação de uma equipe de especialistas se faz extremamente necessária para que adversidades maiores não apareçam.

Uma criança obesa, caso não passe por um bom tratamento e não mude seus hábitos de vida, cresce nessa condição e pode se tornar um adulto com sérias complicações. Entre as consequências da obesidade infantil, estão problemas cardíacos e hipertensão arterial. Segundo uma recente pesquisa inglesa, há ainda a relação direta desse problema com a diabetes tipo 2: crianças obesas tem 4 vezes mais chance de adquirir essa doença caso permaneçam nessa condição.

Perceba que, conforme essa situação cresce, se configura em um problema de saúde pública cada vez mais preocupante. Sendo assim, o combate à obesidade tanto na infância quanto na fase adulta deve ser uma preocupação geral, por isso o assunto está em pauta em muitos congressos, palestras e em vários cursos a distância auxiliares.

No Foco Educação Profissional, além do Curso Online Obesidade Infantil, você pode ficar a par do tema fazendo uma diversidade de cursos EAD sobre saúde, como o Curso Online Hipertensão Arterial‍, entre muitos outros desse campo. 

Obesidade infantil no Brasil

Assim como em vários países em que a situação é preocupante - Estados Unidos, por exemplo -, aqui no Brasil a obesidade infantil afeta muitos menores e, infelizmente, os dados são crescentes. De acordo com dados do IBGE, uma em cada três crianças brasileiras está com peso acima do recomendado para sua idade.

O fato chamou atenção da Organização das Nações Unidas (ONU), que divulgou no início de 2017 um estudo completo sobre a obesidade infantil no Brasil. Segundo a pesquisa, por aqui 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, com 7,7%.

Complementando as estatísticas, o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), divulgado em 2015, mostra que 8,4% dos adolescentes brasileiros estão obesos e 25,5% dos adolescentes de 12 a 17 anos estão com excesso de peso. Ou seja: é uma condição que atinge as pessoas cada vez mais cedo, desde a infância, persistindo até a fase adulta.

Para a ONU, embora o país tenha se destacado por sair do mapa da fome em 2014, o governo e a população devem se atentar para não criar outro problema. A obesidade infantil no Brasil está aumentando e chegando a níveis alarmantes, o que pode gerar um impacto enorme e irreversível.

Para especialistas do órgão, o foco deve ser a prevenção, já que o tratamento para obesidade infantil é dificultoso para os pequenos, assim como a disciplina em seguir hábitos estabelecidos. Além disso, trata-se de um esforço não apenas do afetado, mas de todos que convivem com ele, como os pais e demais familiares, para que ele se sinta motivado a mudar realmente de vida. Embora pareça simples, é muito desafiador, sobretudo para quem está em desenvolvimento.

Quais as principais causas?

São várias as causas da obesidade infantil. Engana-se quem pensa que apenas o excesso na ingestão de comida é atribuído a esse mal. Há muito que investigar para chegar a um diagnóstico e tratamento correto. A alimentação infantil é o primeiro deles: geralmente, o consumo de opções pobres nutricionalmente, industrializadas e rápidas, é algo que caracteriza o sobrepeso. Gorduras e carboidratos são alguns exemplos, como os famosos fast-foods e doces.

Quando uma criança não se alimenta corretamente e vive parada, o problema torna-se ainda mais latente. Chegamos, então, a outra das causas da obesidade infantil: o sedentarismo. Infelizmente, esse fato atinge as pessoas cada vez mais cedo, devido em grande parte aos avanços tecnológicos e à insegurança.

Se antes as crianças passavam muito tempo nas ruas, brincando de diversas maneiras, correndo e se exercitando, hoje em dia boa parte dos pequenos prefere ficar em frente à TV e ao computador, passa o dia jogando vídeo game e não são incentivadas a praticar algum esporte, ficando "presas" dentro de casa e de apartamentos, fato comum em áreas urbanas. Nisso, acabam consumindo alimentos açucarados e gordurosos e ficando totalmente sedentários.

Com a rotina maçante de muita gente, que precisa trabalhar o dia todo e deixa os filhos em casa sozinhos ou sob cuidado de outras pessoas, algumas crianças acabam se sentindo mais solitárias, sem o contato necessário com seus progenitores. Essa situação, aliada ao estresse e ao tédio, abre margem para transtornos ainda mais graves que se associam à obesidade, como a depressão.

Além disso, há também a ansiedade por conta das cobranças do dia a dia. Muitos pais e responsáveis pressionam os filhos para que realizem uma porção de tarefas, sem se preocupar com o estado psicológico do pequeno e sem respeitar seu tempo para se divertir e descansar. Essa ansiedade vai crescendo e, com o tempo, também se torna uma das causas da obesidade infantil.

Por fim, há também os casos em que a genética e os fatores hormonais influenciam. Sabia que filhos de pais obesos têm 100% de chance de terem sobrepeso também? Pois é. Se não há bons exemplos a seguir e nem a preocupação em manter a saúde com o peso ideal, obviamente a criança seguirá os mesmos hábitos dos adultos. Já no segundo caso, problemas como excesso de insulina, deficiência do hormônio de crescimento e excesso de hidrocortisona também levam à obesidade infantil caso não sejam tratados a tempo. Por isso é essencial o acompanhamento médico desde cedo, para a identificação dessa e de demais situações que podem acarretar em sérias adversidades.

Infelizmente, essas causas ainda podem se complementar, ou seja, uma criança pode ser sedentária, contar com problemas hormonais e ainda desenvolver uma depressão por conta da obesidade infantil. Essa relação acaba sendo difícil de contornar e se torna desafiadora para muitos profissionais, como médicos e psicólogos, mas desde que o tratamento comece rápido e com excelência, o cenário pode mudar.

Por isso, pede-se que tanto para os especialistas quanto para os pais e demais familiares se empenhem para dar fim a essa adversidade, bem como todos que lidam diariamente com uma criança nesse estado. O aprendizado por meio da informação é essencial, e para ficar por dentro desse tema, basta estudar e ler bastante a respeito, realizando tanto o Curso Online Obesidade Infantil quanto outros cursos online com certificado pertinentes.

obesidade infantil

Como é o tratamento?

O tratamento para obesidade infantil não é simples, mas desde que todas as partes estejam prontas para promover mudanças e garantir que uma criança seja mais saudável, com certeza dá para alcançar resultados satisfatórios. Quanto mais cedo se observa que o menor está muito acima de seu peso ideal, é necessário procurar um profissional o quanto antes.

Geralmente, a primeira consulta é sempre com o pediatra, que avaliará o pequeno e seus hábitos diários, por meio de conversas e exames. Nisso, é fundamental explanar tudo que acontece, sem esconder nenhum detalhe de sua rotina. A partir do diagnóstico, começa o tratamento para obesidade infantil com uma equipe especializada de profissionais. Além do pediatra, pede-se o acompanhamento com um endocrinologista, nutricionista e, em alguns casos, com o psicólogo.

Obviamente, quanto maior o grau de sobrepeso, mais direcionado e latente será o tratamento, que inclui tanto a mudança da alimentação infantil quanto a investigação de causas hormonais ou genéticas, manutenção da saúde para evitar doenças (até com medicamentos) e atividades que incluem o fim do sedentarismo. O apoio é fundamental tanto para a criança quanto para sua família, já que muitas vezes o problema está com os pais e seus hábitos. Todos precisam se engajar para que a situação se altere, caso contrário, nenhuma meta será atingida.

Pais e responsáveis em geral devem ter em mente que a obesidade infantil no Brasil é um caso sério e deve ser combatido. Manter-se ligado nessa pauta e saber todos os detalhes é imprescindível para saber como agir e fazer com que a criança esteja disposta a ser mais saudável. Para isso, vale aprender com muitos cursos a distância da área da saúde e similares, presentes no vasto conteúdo do Foco Educação Profissional.

Como prevenir e combater esse problema?

Para qualquer situação que surge e se agrava, o ideal é sempre que se possa prevenir antes de remediar. Visto as causas da obesidade infantil, as práticas não devem ser diferentes. É necessário garantir que a criança não chegue a um grau severo de sobrepeso e consiga ficar sempre com suas medidas ideais.

Preliminarmente, os adultos devem fazer uma análise própria: será que meus hábitos são saudáveis? Até que ponto influencia meus filhos? É bom ter em mente que, se você come de modo irregular e é extremamente sedentário, com certeza a criança seguirá o mesmo padrão. Por isso, a mudança deve ser conjunta. Não adianta jogar a responsabilidade e pressão apenas por um lado, sendo que ele não possui nem um exemplo ou incentivo.

A ideia é que as coisas mudem naturalmente e, desde cedo, a criança seja estimulada a se movimentar e comer de modo correto. Não precisa proibir nada, apenas criar um cronograma coerente. Além disso, estar sempre presente na vida do pequeno, saber ouvi-lo e participar sempre de sua educação, não transferindo essa responsabilidade para terceiros. As coisas só dão certo quando há a preocupação recorrente em trazer mais bem-estar às crianças. A ausência e falta de paciência em nada ajudam, ao contrário, trazem ainda mais problemas. Portanto, vale para todos os pais e responsáveis se atentarem aos comportamentos, desejos e tudo que se refere à criança.

Brinque com ele, estimule a caminhar e praticar esportes, crie uma rotina de alimentação balanceada, faça com que ele beba muita água, não deixe opções engordativas à disposição e leve o pequeno sempre ao médico para que seja avaliado. Se você acha essa rotina difícil, pode saber mais detalhes e técnicas para colocar tudo em prática. Para te ajudar ainda mais, temos muitos cursos online interessantes para indicar, auxiliares ao Curso Online Obesidade Infantil, como:

Os certificados do Foco Educação Profissional podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Informe-se e ajude a combater a obesidade infantil

A informação é o primeiro passo para combater a obesidade infantil e uma série de outras doenças, transtornos e condições que levam a problemas graves. Comece a estudar e ficar por dentro desses temas com os cursos EAD do Foco Educação Profissional e esteja sempre pronto para ser uma referência em diversos assuntos. Isso vale tanto para profissionais de saúde quanto qualquer pessoa interessada em aprender.

Com centenas de cursos a distância, nosso portal é um dos que mais cresce no país, atestado por mais de 140 mil alunos. As vantagens e diferenciais são incríveis, como a possibilidade de fazer quantos cursos online quiser durante um ano investindo apenas um valor único de R$ 69,90. Você também pode escolher a melhor carga horária para certificação, acessar os cursos EAD quando achar conveniente e aprender muito com conteúdos atualizados e exclusivos.

Inscreva-se e comece agora a fazer todos os cursos online com certificado que indicamos e aqueles que mais te interessar. Se tiver dúvidas, deixe um comentário no artigo e não deixe de compartilhar com os amigos. Até a próxima.