A Língua Portuguesa possui muitas regras, e a correção de texto é essencial para tornar as ideias mais claras e evitar erros ortográficos e gramaticais. Uma palavra escrita de forma incorreta pode fazer com que o leitor perca o interesse e abandone a leitura. Portanto, a correção ortográfica e pontuação é essencial para atrair o leitor, seja para informá-lo ou para fazer uma troca comercial.

Com o curso de revisão de texto você aprenderá a importância da correção ortográfica e pontuação na hora de escrever uma publicação online ou impressa. Você sabia, por exemplo, que é permitido ao revisor ajustar o texto e substituir palavras com o objetivo de dar maior valor ao texto? Não há problemas em fazer adequações e substituições para tornar a leitura mais agradável, desde que seja respeitado aquilo que o autor escreveu. E se o objetivo do texto é ser menos formal, você poderá sugerir a substituição de palavras por sinônimos mais criativos.

O revisor de textos necessita ter o domínio das regras e princípios da Língua Portuguesa, ou seja, da parte mais técnica da língua, assim como é requisito para o revisor que ele saiba adaptar um texto em sua totalidade, procurando respeitar o estilo de escrita do autor.

O Curso Online Revisão de Texto deixará você atualizado sobre o novo acordo ortográfico que entrou em vigor no início de 2016 e lhe orientará a revisar a ortografia e a gramática de trabalhos acadêmicos e de outros textos, para manter a coesão, a coerência e a clareza, itens necessários para o entendimento do público leitor.

Se você quer ler mais sobre o novo acordo ortográfico e sobre nossos cursos a distância, que poderão ajudar a melhorar sua escrita, continue lendo nosso post.

Revisão ortográfica

A revisão ortográfica é o primeiro passo para tornar um texto coeso e coerente, afinal, é extremamente desagradável ler um texto que contém erros, como o uso inadequadao da vírgula, que pode mudar completamente o sentido do texto.

Devemos considerar que palavras sinônimas não podem ser utilizadas de qualquer forma. É necessário que ela esteja de acordo com o sentido do texto.

Além disso, é preciso estar atento quanto à ortografia das palavras e à concordância verbal e nominal.

O texto pode estar bem-escrito, ou seja, pode ser coerente, coeso e conter informações corretas, mas um erro poderá influenciar negativamente sua recepção pelo leitor.  

Seja você redator ou revisor, é necessário estar sempre atento aos erros ortográficos, pois eles invalidam o texto. Um texto escrito de forma correta e adequada à norma facilita a leitura e a compreensão do assunto.

O trabalho do revisor de textos não se resume a modificações ortográficas. É necessário conhecer a norma culta, ter domínio da Língua Portuguesa, para ajustar o texto de acordo com as novas regras ortográficas. O nosso portal oferece um curso online ideal para quem quer melhorar sua escrita, o Curso Online Técnicas de Redação.

O novo acordo ortográfico

A Língua Portuguesa é o idioma oficial de várias nações, e a tentativa de uma unificação da língua entre todos esses países é antiga, sendo realizado o primeiro acordo ortográfico luso-brasileiro em 1931, que não se efetivou na prática. Mais tarde, em 1990, uma proposta foi apresentada pela Academia de Ciências das Lisboa e pela Academia Brasileira de Letras, na tentativa de uma unificação da ortografia dos países de Língua Portuguesa.

Porém, este acordo não entrou em vigor, pois era necessária a adesão de mais países. Em 2006, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe aderiram ao novo acordo. No entanto, Portugal ainda apresentava discordâncias quanto às mudanças, e, somente em maio de 2008, o Parlamento Português validou o acordo que unifica a ortografia em todas as nações de Língua Portuguesa.

Para elaborar o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa em 1990, foi realizada uma reunião na Academia das Ciências de Lisboa que contou com a presença de representantes dos seguintes países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e a Galiza como país observador. O Timor-Leste não participou da elaboração do Acordo Ortográfico de 1990, pois o país estava enfrentando uma ocupação da Indonésia em seu território, cuja independência foi recuperada em 2002. Em 2009, o Parlamento Nacional do Timor-Leste finalmente aprovou o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

No início de 2009, o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa entrou em vigor no Brasil e, em 13 de maio de 2009, em Portugal. Foi estabelecido um período de transição, de três anos para o Brasil e seis para Portugal, no qual tanto as normas antigas quanto as novas eram válidas. Essa transição se deu para que as pessoas pudessem adaptar-se às novas regras. A obrigatoriedade para o uso da Língua Portuguesa conforme o Acordo Ortográfico estava marcada para janeiro de 2013, porém em dezembro de 2012 o governo adiou a obrigatoriedade para o início de 2016.

Se você tem interesse em saber mais sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, um de nossos cursos online aborda esse tema com maior exclusividade, tratando não só questões da Reforma Ortográfica, como também das origens de nossa língua e sua participação no mundo, o Curso Online Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa.

Também abordamos este assunto em um de nossos cursos online com certificado, o Curso Online Nova Gramática Brasileira, que discute, de forma mais detalhada, a Língua Portuguesa em geral.

Além desse curso online, o nosso portal oferece vários cursos, para você estudar e se aprefeiçoar na sua área de interesse. Somos conhecidos nacionalmente por oferecer ótimos cursos a distância, para que você estude como e onde quiser.

Cursos relacionados que podem te interessar:

É importante lembrar que o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa se restringe à língua escrita, o que significa que ele não afeta os aspectos da língua falada. Além disso, a reforma ortográfica não acabou com todas as diferenças entre o português brasileiro e o português falado nas demais nações. As regras foram estabelecidas no sentido de tornar a ortografia da Língua Portuguesa mais homogênea, o que facilita o aprendizado dos alunos e de estrangeiros, pois foram simplificadas algumas regras ortográficas. Além disso, a reforma pode reduzir os custos de produção de livros.

Mas, então, o que mudou na Língua Portuguesa após a reforma ortográfica? Uma das mudanças mais significativas e que simplificou o uso da língua é aquela que diz respeito à utilização do hífen. O hífen deixará de ser empregado quando o prefixo terminar em uma vogal diferente da vogal que inicia o próximo elemento, o exemplo está nas palavras “autoimagem” e “semiaberto”, antes grafadas “auto-imagem” e “semi-aberto”. Além disso, o hífen deixará de ser empregado nas palavras cujo prefixo termina em vogal, e o próximo elemento começa com as consoantes “s” ou “r”. Essas consoantes passam a ser duplicadas. Por exemplo: “anti-social” passa a ser grafado como “antissocial”.

E em quais casos usaremos o hífen? O hífen será empregado quando o prefixo terminar com vogal e o elemento seguinte iniciar com a mesma vogal, por exemplo, nas palavras “anti-inflamatório” e “contra-ataque”. O hífen também é empregado em casos específicos, com os prefixos hiper, super, inter e sub, em que o prefixo termina com consoante e o segundo elemento começa com a mesma consoante, por exemplo: “hiper-realista” e “super-racional”.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa também trouxe alterações na forma de acentuar palavras. O acento agudo desapareceu nos ditongos abertos “ei” e “oi” das palavras paroxítonas. Por exemplo, nas palavras “ideia”, “paranoia”, “assembleia”, etc.

Não acentuamos mais as palavras paroxítonas com “i” e “u” tônicos formando um hiato, quando vierem após um ditongo. Por exemplo, nas palavras “feiura”, “bocaiuva”, “Taoismo”.

A regra também mudou para as formas verbais que possuem “u” tônico antecedido das letras “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i”. Isso só ocorre nas formas verbais “arguir” e “redarguir”. Por exemplo, a palavra “redarguem” não possui mais acento no “u”.

O Acordo Ortográfico também trouxe mudanças na questão do acento diferencial, utilizado para auxiliar na identificação de palavras que possuem a mesma pronúncia, como por exemplo “pêlo” e “pelo”, “pêra” e “pera”, que, nesses casos, não há mais acento. Porém, o acento permanece no verbo pôr, para não ser confundido com a preposição por, e também no verbo poder conjugado no passado (pôde), para que não se confunda com pode, a forma conjugada no presente.

O acento circunflexo também deixou de existir com o Acordo Ortográfico nos seguintes casos: palavras terminadas em “ôo”, como por exemplo “voo”, “abençoo”, “perdoo”, etc. Em palavras terminadas em “êem”, que passam a ser grafadas sem acento. Os exemplos de palavras são as formas conjugadas da terceira pessoa do plural dos verbos ler, dar, ver, crer e as palavras que derivam destas.

Correção de texto

Outra importante mudança na Língua Portuguesa foi com relação ao trema. Com o Acordo Ortográfico, o sinal gráfico utilizado no “u” dos grupos que, qui, gue, gui deixou de existir, porém a pronúncia continua a mesma. Palavras como “frequente” e “sequestro” perderam o trema. No entanto, em nomes próprios de origem estrangeira e em seus derivados o trema foi mantido.

Por fim, tivemos também mudanças em nosso alfabeto, que passou a ter 26 letras, com a inclusão oficial das letras “k”, “w” e “y”.

Você pode estar se perguntando o motivo de todas essas regras influenciarem o trabalho do revisor. Devemos considerar que, para escrever um texto com qualidade, é necessário saber usar a nossa língua corretamente. Se você quer saber mais informações sobre revisão textual, não deixe de fazer o nosso Curso Online Revisão de Texto que lhe dará mais informações sobre a revisão e o Acordo Ortográfico. Também não deixe de conferir nossos cursos online sobre esse tema.

Revisão gramatical

É comum, ao escrevermos um texto, deixarmos de lado algumas regras e princípios da língua, para que estes não interfiram em nosso processo criativo. Afinal, queremos transmitir uma ideia e, para isso, precisamos de certa liberdade. Por isso, ignoramos certos detalhes que podem ser comprometedores para a compreensão de nosso texto.

Se você ainda tem dificuldade para escrever textos, um de nossos cursos online com certificado pode lhe ajudar, o Curso Online Comunicação Escrita e Revisão Gramatical.

O revisor de textos precisa estar atento ao revisar gramaticalmente as obras de caráter literário e histórico, pois estas possuem um grande número de expressões regionais, personagens com vocabulário e linguagens próprias de determinada época ou condizentes com sua faixa etária. Essas variações linguísticas são naturais e não necessariamente erros gramaticais.

A medida que podemos tomar para escrever um texto mais claro e coerente possível é, após a produção do conteúdo, fazer uma correção de texto, levando em consideração as regras gramaticais, evitando os vícios de linguagem e adaptando o texto de acordo com o público que se espera atingir.

É importante que além de fazer uma revisão gramatical, também haja uma correção ortográfica e pontuação  esteja adequada no texto. Em nosso curso de revisão de texto, você aprenderá a avaliar se um texto está escrito adequadamente e se ele está de acordo com as normas da Língua Portuguesa.

O Foco Educação Profissional tem um grande diferencial dos outros. Você investe apenas R$69,90 para acessar todos os nossos cursos a distância do Pacote Master, durante o período de um ano, seja ele um curso de revisão de texto ou do tema de sua preferência.

Os certificados do Foco Educação Profissional podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

O revisor de textos e seu papel na correção de texto

Com nosso curso online, você conhecerá o papel do revisor de textos, que não é somente, como muitos pensam, o de fazer a correção de texto, buscando erros ortográficos e de digitação. O revisor vai além da adequação às normas, ele adapta o texto para que se possa atrair diferentes tipos de público, respeitando o estilo do autor. O trabalho do revisor é fundamental. Editores e os próprios escritores concordam e compreendem a necessidade de um revisor de textos.

Podemos comparar o trabalho de revisão de textos com o trabalho de um designer de interiores. Ambos possuem preocupações estéticas, precisam ter qualidades artísticas e pensam na obra como um todo. O designer de interiores necessita pensar a arquitetura de uma casa ou edifício, adequando o interior com o exterior. Já o revisor de textos possui os instrumentos que dão acabamento ao texto, corrigindo falhas e fazendo modificações sem alterar a obra como um todo, evitando o desaparecimento da essência da obra e do estilo do autor.

Para revisar um texto, é ideal que tenhamos o domínio da Língua Portuguesa no que diz respeito às classes gramaticais: substantivos, verbos, conjunções, adjetivos, etc. É necessário também que saibamos interpretar um texto para fazer correções e adequações sem cometer equívocos. Em nossos cursos online, oferecemos o curso ideal para o revisor de textos, o Curso Online Classes Gramaticais e Interpretação de Textos.

O Curso Online Revisão de Texto auxilia o trabalho do revisor que precisa repeitar o sentido e a personalidade do autor do texto. Esse curso discute, de forma didática, os limites que devem ser respeitados pelo revisor de textos e demonstra como o profissional pode enriquecer um texto, por meio da substituição de palavras, por exemplo

O Foco Educação Profissional compreende o valor do revisor de texto e valoriza esta profissão. Por isso, nós sempre oferecemos ótimos cursos online com certificado para que esse profissional esteja sempre se aprimorando e buscando novos conhecimentos.

Não fique de fora e inscreva-se já no nosso portal! Também não esqueça de compartilhar e comentar o post!