Felizmente, a inclusão de pessoas com deficiência em todos os meios e áreas está cada vez maior. Aos poucos, a sociedade entende que esse grupo precisa ter seus direitos cumpridos e deve realizar as atividades comuns a todos, da educação ao trabalho, do lazer à saúde. Esse conhecimento se dá a muitas fontes de informação eficientes, tanto com a mídia em si quanto com campanhas do governo, cursos online e comerciais em vários canais.

O primeiro passo para uma boa compreensão até o engajamento nessa pauta é buscar dados qualitativos e ficar por dentro do tema com opções excelentes. Assim, qualquer pessoa pode se orientar e aprender bastante sobre todos os tipos de deficiência e como lidar no dia a dia com indivíduos em variadas condições. E isso serve para todos.

O tema de nosso artigo tem tudo a ver com esse cenário. Vamos abordar detalhadamente todos os conceitos das deficiências múltiplas: qual a definição, os sinais, como educar e conviver com uma pessoa nessa situação. Além disso, indicaremos alguns cursos online com certificado para ficar por dentro e se qualificar sobre essa pauta tão interessante. Leia, informe-se e inspire-se.

Abordagem completa sobre deficiências múltiplas

Deficiências múltiplas: conceito e definição

Assim como o nome indica, uma pessoa com deficiência múltipla é aquela que possui mais de uma deficiência. Podem ser duas ou mais, depende muito da condição e trata-se de uma situação heterogênea, com diversas características: de ordem física, mental, emocional ou de comportamento social.

Segundo a Política Nacional de Educação Especial, trata-se de uma ''associação no mesmo indivíduo de duas ou mais deficiências primárias (mental/visual/auditivo-física), com comprometimentos que acarretam atrasos no desenvolvimento global e na capacidade adaptativa''. Assim, com grande extensão e tipos, varia bastante conforme quatro fatores: número, intensidade, abrangência e natureza.

Para alguns especialistas, essa condição se dá por muitas situações, sendo uma das mais comuns quando o indivíduo já possui uma deficiência única e esta acaba influenciando em outras áreas conforme seu desenvolvimento. Se um bebê possui alguma disfunção que não é tratada corretamente ao nascer ou tem gravidade severa, ela pode afetar tanto o campo psicomotor quanto o de comunicação. Ou seja: uma deficiência pode ser geradora de outras, o que leva ao estado de múltipla deficiência.

De um modo geral, os casos mais latentes são de deficientes visuais e auditivos que possuem também outras deficiências: mental, intelectual ou física, assim como uma série de distúrbios que dificultam sua autossuficiência. Um cego, por exemplo, pode ter algum transtorno global do desenvolvimento. Já um indivíduo que é diagnosticado com surdocegueira, vive uma condição que também é delimitada como deficiência múltipla.

Esse é um tema complexo que revela muitos desafios para a medicina, psicologia, entre outros campos. Por não ter uma base tão grande de estudos disponível, acaba levando a muitas teorias e poucas fontes realmente completas. Em todo caso, o que precisa ficar claro é que as necessidades das pessoas com múltipla deficiência não se dá pela quantidade, e sim pela intensidade com que afeta suas possibilidades funcionais, como comunicação, interação social e de aprendizagem.

É importante avaliar caso a caso e contar com um trabalho especializado para saber quais os melhores procedimentos seguir, levando em consideração muitos fatores particulares. É uma situação morosa para médicos, educadores e demais profissionais, mas desde que o acompanhamento seja frequente, tudo se torna mais simples e efetivo.

A ideia, sempre, é se informar com o que há de melhor sobre o tema, como cursos online do gênero. O Curso Online Deficiências Múltiplas é uma das melhores opções, um conteúdo essencial e que garante informações precisas e interessantes para todos que devem ficar por dentro dessa pauta. O estudo é fundamental e nada melhor do que contar com os cursos a distância para isso.

Deficiências múltiplas: gravidade, tratamento e classificação

Segundo a Federação Nacional das Apaes (Fenapaes), existem alguns aspectos que caracterizam a gravidade de uma deficiência múltipla. São eles:

  1. Tipo e número de deficiências associadas;
  2. Abrangência das áreas comprometidas;
  3. Idade de aquisição das deficiências;
  4. Nível ou grau das deficiências associadas.

Esses parâmetros são os mais utilizados pelos especialistas para avaliar as pessoas com deficiência e delimitar o tratamento necessário. Nesse ponto, é importante saber que a gravidade se dá a partir das respostas dessas e de outras ações pertinentes. Ou seja, é preciso um conjunto de medidas e intervenções funcionais que garantem a evolução do paciente e melhora de sua interação com o ambiente em que vive, como:

  1. A aceitação, apoio e compreensão da família;
  2. A descoberta correta da causa da deficiência;
  3. Os meios oportunos para que a pessoa participe e se integre ao ambiente;
  4. O apoio dos especialistas, família e demais envolvidos para auxiliar o indivíduo, independente do tempo necessário para isso;
  5. A educação especial para incentivo à autonomia, criatividade e aprendizado em si;
  6. Auxílios e atitudes para formação de um auto conceito e autoimagem positiva.

A partir do momento em que esses fatores são trabalhados juntamente e com objetivos bem delimitados, uma pessoa com deficiências múltiplas pode realizar as mais diversas tarefas com liberdade e independência. Muita gente pensa que quem vive essa condição precisa de auxílio sempre, o que não é regra. Como já dissemos, cada caso é único e não existe padrão, por isso a avaliação é sempre individual, bem como os tratamentos fundamentais para tornar a vida de quem está nesse grupo mais simples e feliz.

Nesse contexto, chegamos à classificação das deficiências múltiplas conforme os fascículos do Programa de Capacitação de Recursos Humanos do Ensino Fundamental: deficiência múltipla, lançado pelo MEC em 2000:

  1. Física e psíquica: associação da deficiência física com a deficiência intelectual ou transtornos mentais;
  2. Sensorial e psíquica: é deficiência auditiva ou visual associada à deficiência intelectual, a deficiência auditiva ligada a transtornos mentais ou a perda visual a transtorno mental;
  3. Sensorial e física: deficiência auditiva ou visual junto à deficiência física;
  4. Física, psíquica e sensorial: deficiência física com deficiência visual/auditiva e intelectual ou deficiência física com surdocegueira (auditiva e visual).

O grau de todos os casos pode ser tanto leve ou severo, com baixa ou alta incidência. A compreensão se dá após a análise médica competente para um diagnóstico correto para o início do tratamento. Como é difícil entender essas associações de uma hora para outra, tanto a família quanto a equipe de especialistas precisam ficar sempre preparados e informados para saber como lidar caso a caso. A partir do momento em que se trabalha o conhecimento, é fácil saber quais as melhores ações e como colocá-las em prática. Felizmente, aqui no Foco Educação Profissional não faltam cursos EAD ótimos e exclusivos nessa pauta.

O portal conta com inúmeros cursos online com certificado ligados aos temas de deficiências, com toda a definição e melhores métodos de trabalho e educação desse grupo, dos transtornos globais à deficiência física. Vale a pena contar com esse vasto material para ficar a par do assunto.

curso online deficiências múltiplas

Sinais, fatores de risco e diagnóstico das deficiências múltiplas

Quando se trata de deficiências múltiplas, boa parte pode surgir já na infância, nos primeiros dias de vida do bebê. Mas, por outro lado, é bastante comum algum evento ou doença deixar sequelas e levar a pessoa a adquirir uma deficiência em qualquer fase da vida.

No caso das crianças, alguns fatores são perceptíveis conforme seu crescimento e podem ser observados tanto pelos pais quanto educadores. Muitas vezes, por não saberem a definição exata e abrangência de uma deficiência intelectual ou síndrome, como o autismo, por exemplo, muitos podem achar que trata-se de um comportamento que reflete apenas a condição atual, sem tanta gravidade e necessidade de um apoio especializado. Logo, a qualquer sinal diferente, se vê a necessidade de um diagnóstico preciso e do acompanhamento com um profissional, como:

  1. Dificuldade na comunicação;
  2. Dificuldade em seguir normas e rotina diária;
  3. Movimentos corporais involuntários;
  4. Baixa ou nenhuma resposta a estímulos causados por toques, barulhos, entre outros;
  5. Movimentos repetitivos;
  6. Choro e riso sem motivo aparente;
  7. Hiperatividade e distúrbios do sono;
  8. Resistência ao contato físico ou interação com outras crianças/pessoas.

Como você já percebeu, as classificações para uma deficiência múltipla são variadas. Além da percepção dos principais sinais, é sempre bom focar também na prevenção e tratamento de doenças graves e males que podem atingir as crianças desde os primeiros dias de vida, como:

  1.  Infecção de ouvido;
  2.  Glaucoma ou catarata;
  3. Traumatismos;
  4. Falta de oxigênio;
  5. Tumor cerebral;
  6. Toxoplasmose ou sarampo;
  7. Sífilis congênita, rubéola e meningite materna.

Já outros fatores de risco que levam a uma deficiência múltipla e devem ser evitados pela mãe são a prematuridade, gravidez arriscada, doenças venéreas, falta de saneamento básico, infecções hospitalares, uso de drogas (incluem-se medicamentos) e álcool; além da falta de vacinas essenciais ou tratamento ineficiente e inexistente das doenças na criança. 

Veja que há muito que considerar nesse caso e várias linhas a seguir. Ao analisar a situação individualmente, o médico precisa de um amplo conhecimento para ir pelo melhor caminho e, além disso, saber orientar a família e prestar o auxílio necessário. Não é à toa que o Curso Online Deficiências Múltiplas é um dos cursos EAD ideal para esses e diversos profissionais, uma possibilidade para se atualizar, aperfeiçoar e até se certificar.

Os certificados do Foco Educação Profissional podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Como educar uma criança com deficiências múltiplas?

Ao receber um aluno já diagnosticado com deficiência múltipla ou começar a perceber algum sinal que caracterize a dificuldade no aprendizado ou um comportamento atípico, o educador deve, acima de tudo, estar preparado e nunca enxergar a situação como ''impossível''. A educação dessa criança é essencial e ela pode aprender tanto quanto as outras.

Hoje em dia, a velha crença de que pessoas com deficiência não são capazes de frequentar uma sala de aula regular caiu por terra. Graças a muitas campanhas, estudos e decretos validados pela Organização das Nações Unidas (ONU) e compromissados por praticamente todos os países, a pauta de inclusão social desse grupo ganhou muita força, acabando com os mitos e equívocos que a cercavam.

Pensar em uma educação especial tornou-se fundamental e esse fato levou a muitos ganhos para essas pessoas, já que elas se sentem parte da sociedade e ficam prontas para interagir com o ambiente em que vivem. O aprendizado se dá de modo eficiente e leva sempre ao sucesso, já que existem cada vez mais recursos para isso, como as ferramentas de acessibilidade e comunicação da tecnologia assistiva.

Em sua cartilha para educadores que trata especificamente da deficiência múltipla, o Ministério da Educação revela que: ''as crianças com qualquer deficiência, independentemente de suas condições físicas, sensoriais, cognitivas ou emocionais são crianças que têm necessidade e possibilidade de conviver, interagir, trocar, aprender, brincar e serem felizes, embora, algumas vezes, por caminhos ou formas diferentes. Essa forma diferente de ser e agir é que as torna ser único, singular. Devem ser olhadas não como defeito, incompletude ou incapacidade, mas como pessoas com possibilidades e dificuldades que podem ser superadas ou minimizadas''.

A empatia é o primeiro passo para que o professor e todos os educadores comecem a conviver com a criança com deficiência múltipla. É interessante entender que o profissional também cresce muito frente a desafios como esse, que se tornam totalmente satisfatórios ao ver que ela está se desenvolvendo a cada abordagem. Assim, a superação se dá quando há a integração da escola com a família e a equipe especializada no caso, como uma verdadeira parceria. Caso seu filho tenha alguma deficiência múltipla, por exemplo, ele deve contar com um fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, entre outros diversos profissionais que devem reportar a você quais são os melhores caminhos de aprendizado de acordo com o grau de sua deficiência.

Além das atividades direcionadas e específicas caso a caso dentro das aulas regulares, que consideram a grade curricular conforme as limitações da criança, ela pode receber também uma educação especial pelo AEE (Atendimento Educacional Especializado), entre outros programas essenciais, como o Programa Educação, Tecnologia e Profissionalização para Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (TEC NEP), implantado pelo governo federal em 2000 com o objetivo de aumentar o acesso, a permanência e a terminalidade dos estudos das pessoas com deficiências, seguindo sempre os parâmetros das leis de inclusão.

Portanto, o gestor escolar e professores de todos os níveis e tanto a família precisam compreender que existem muitas maneiras e aparatos que democratizam a educação especial para as pessoas com deficiência, sobretudo aquelas com deficiências múltiplas, assim como para qualquer indivíduo.

Aprenda mais sobre deficiências múltiplas com cursos online

Desafios existem em qualquer profissão e nas mais diversas situações da vida. É comum ficar um pouco inseguro ao vivenciar um fato que não faz parte de seu cotidiano, porém, é bom ter em mente que sempre é possível lidar com ele. Embora não seja um tema muito comentado, visto que as perspectivas são de que 1% da população brasileira tenha uma deficiência múltipla, é imprescindível que seja debatido sempre em todos os locais, para todos entenderem seus aspectos e peculiaridades. E isso vale para qualquer área e pessoa.

Além de esclarecermos alguns pontos principais neste artigo, recomendamos que você aposte nos cursos online para aprender detalhadamente. Assim como o Curso Online Deficiências Múltiplas, há muitos cursos EAD que agregam conhecimento e te deixam totalmente informado.

Assinando o Foco Educação Profissional, você tem acesso a mais de 700 cursos online com certificado durante um ano. Basta investir um valor único de R$ 69,90 e começar a estudar, escolhendo os cursos a distância que mais chamam sua atenção, com a carga horária ideal para certificação. Vale muito a pena se inscrever e fazer quando quiser, com o máximo conforto e autonomia.

Embora seja um tema complexo, esperamos que você tenha gostado de saber mais sobre as deficiências múltiplas e esteja animado para ficar por dentro dessa pauta. Conte quais são suas opiniões e compartilhe o artigo com os amigos. Até mais.